Construção Sustentável


Construir com sustentabilidade é construir com racionalidade, tendo em vista a minimização dos impactes ecológicos que prejudicam a biodiversidade.

A definição mais aceite internacionalmente, foi apresentada por Charles Kibert em 1994,  definindo Construção Sustentável como a “criação e gestão responsável de um ambiente construído saudável, tendo em consideração os princípios ecológicos e a utilização eficiente dos recursos”.

Perante o grande impacte que o sector da construção tem  sobre  o  ambiente, este possui um  importante  papel  no cumprimento  das  metas  para um desenvolvimento  sustentável, de que  tanto se  fala hoje em dia.  O impacte ambiental causado pela indústria da  construção  e  pelas  empresas  a  montante  produtoras  de  grande diversidade  de  materiais,  é  muito  forte.  A exploração intensiva de  madeiras  e  pedreiras,  a  extracção inadequada  de  areias,  o  consumo  descontrolado  de  energia,  a  deposição  ilegal  de  resíduos,  têm  tido reflexos bastante negativos nos ecossistemas e na perda da biodiversidade.

Os edifícios consomem grande quantidade de recursos naturais e contribuem de várias formas para o impacte  ambiental,  quer  no  processo  construtivo,  quer  na  fase  de  utilização,  como  eventualmente  na fase de demolição. A análise desta temática, leva à necessidade urgente de se implementarem práticas  de  projecto  e  construtivas, que contribuam para a existência   de   edifícios   sustentáveis, abarcando quatro   grandes   vertentes:   gestão energética; gestão da água; gestão de materiais e gestão de resíduos de construção e demolição

Este objectivo concretiza-se com o planeamento partilhado, com a utilização racional dos materiais, com o respeito pelos ciclos naturais do ar e da água, com o recurso a estratégias passivas de produção de energia e com a gestão e reciclagem de lixos.

Para responder à necessidade de por em prática o conceito de sustentabilidade têm sido desenvolvidos e aplicados, a nível internacional (desde a segunda metade da década de 1980), vários sistemas para avaliação do desempenho ambiental dos edifícios, sendo que em Portugal, existem 2 cujas características foram adaptadas à nossa realidade: LiderA e o SBTooLPT.

No sentido de promover a construção sustentável, tem-se verificado o aumento gradual da realização de eventos que procuram apelar à sensibilização dos participantes, mas principalmente, apresentar os novos materiais mais ecológicos e energicamente eficientes,  as inovações tecnológicas, assim como as melhores práticas que aumentem a qualidade e a eficácia a longo prazo a um custo suportável.

A oferta é vasta e a informação abundante. Cabe-nos a nós enquanto consumidores, fazer a escolha certa, promovendo a sustentabilidade e agindo em prol do ambiente.

Share :
Related Posts

Leave Your Comment